A propósito da "Arte de Furtar" e da sua primeira tradução